segunda-feira, agosto 29, 2005


Meu querido

Hoje é quinta, dia de acordar mais cedo, dia da feira aqui na rua. Desde a madrugada os sons chegam, corriqueiros, algo indistintos. Os ônibus sobem a rua ao lado e eu a tudo ouço com preguiça de sair da cama.
Embaixo da nossa janela gritam os preços da banana e da batata.
— Porque banana e batata ficam lado a lado? Você perguntava, eu ria.
— Coisas da feira meu bem.
Acreditar você não acreditava, mas fazia sins com a cabeça e interrogações nas mãos.
— Cidade enervante, irritante, resmungava. Feira no meio do transito, ruas paradas e frutas com batatas...
Mesmo que não queira o despertador me chama pela segunda vez. Levantar neste frio... bem que poderia deixar de trabalhar em dias gelados. Infelizmente não encontrei até hoje chefe que pense assim, então levanto e mais cedo, porque é dia de feira.
Desci correndo.
As laranjas estão secas, as verduras murchas, por isso trouxe papaias e abacaxi, maçãs, pepino e aipo. Queijo não, porque ainda temos alguns e bolachas deixei para comprar no chinês ali da esquina. Não se esqueça que já desidratei a hortelã para teu suco. Estão na caixinha azul, terceira prateleira do frezzer. Os morangos estão lavados, e as batatas cozidas com a mandioquinha, ainda em cima do fogão.
Adoro sopas nas quintas.
Lúcio manda avisar que seu pastel de banana veio a meio termo hoje. O vidro caiu na perua que agora está perfumada à canela mas os pastéis, hoje, só açúcar.
Ovos vermelhos, grandes, nenhum. Alias acho que precisamos viajar para Minas, trazer doces e ovos de duas gemas. Como será que sabem que as galinhas duplicam as gemas nesse ou naquele ovo? Para mim isso sim que é enervante... loteria de ovos e gemas.
Mamãe fez seu bolo de fubá. Mandou uvas também. Já as meninas arrumaram a mesa e a sala. Não estranhe o excesso de flores... são todas para você.
Sua mãe e seu pai chegaram, cansados e mandaram lembranças. Marquei almoço com ele no clube. Espero que goste.
Quando acordar, me ligue. Prepare seu café que sai um pouco corrida.
Ah sim, eu que calcei suas meias, seus pés estavam gelados, gelados.
Boa quinta, meu bem querido. O pão deve estar quase pronto quando acordar. Deixei no forno fraco, só para ele acabar de subir e dourar. Desligue antes que eu novamente queime a casa.
Beijos
Maria Odila

13 Comments:

Anonymous Celso said...

~Há muito eu não me comovia com um texto da forma como me comovi com este. Conseguste extrair poesia do mais frugal cotidiano. Isto é arte. Obrigado pela leitura.

Saudações do Cárcere

10:46 AM  
Anonymous Gildemar Pontes said...

Maria, vi sim seu comentário que mandou por e-mail. Estamos barbarizando a solidão. Beijos

12:16 AM  
Anonymous Zeca said...

"Hoje é dia de feira aquí na rua"... isso me evoca saudade de tempos idos, de costumes antigos, hoje substituídos pelos hipermercados. E o carinho passado pelos inúmeros recadinhos, parece também ter sido substituído por vidas mais "modernizadas" que deixaram essas delicadezas de lado, dando lugar a sei lá o quê...
Enfim, mais um lindo e comovente texto criado e deixado de presente pela nossa querida Sapeca Madalena.
Beijos com cheirinho de canela.

11:44 AM  
Blogger Manoel Carlos said...

Espero que ele não se atrase, pois entre outros riscos, a casa pode pegar fogo; é confiar demais deixar o forno ligado,e se houver um imprevisto e ele não chegue, nestas coisas sou muito cuidadoso.
O próprio formato do ovo indica quando é de duas gemas.

4:22 PM  
Anonymous PATY said...

Adorei seu texto! e so pra explicar o porquê de as bananas ficarem perto das batatas: para que as pessoas possam comprar suas coisas mais rapido, além de não deixarem batateiros com batateiros e bananeiros com bananeiros!! acredite, isso da mta confusão!!
um abraço PATY

9:40 PM  
Anonymous Friedrich said...

Apetece-me fazer-te um desafio a acompanhares um romance sensual que estou a escrever e que irei postar no meu blog Nietszche que irá ser postado por partes em que o primeiro já lá se encontra. Gostaria que tu acompanhasses esta história e a comentasses. Acho que valerá a pena disponibilizares esse tempo porque irás dá-lo por bem empregue... Uma maneira diferente de se ver a sensualidade de uma relação amorosa, vistas através dos olhos de um homem! Aqui assim http://nietzsche.blogs.sapo.pt

Beijos

12:58 AM  
Anonymous DO said...

Falar em feira é lembrar-me de pastel.
Até saliva minha boca com aquilo,hehehe
Beijos!!

4:51 PM  
Anonymous filho said...

queria viver aí...
bjs

1:04 PM  
Anonymous Julia Medrado said...

Oi Maria...
eu cai aqui no teu blog não sei de onde e olha... sinceramente, faz muito tempo que não lia algo tão pessoal (ao menos me parece ser bem pessoa), tão profundo! faz com que seja resgatada aquela função de blog já esquecida. enfim, adorei! Me emocionei muito com o post anterior também. Um beijo.

8:46 PM  
Blogger Peter said...

O quotidiano brasileiro. Belo texto na sua simplicidade.

8:52 PM  
Anonymous arruda.arruda said...

todo mundo um dia coloca fogo na casa.

beijo de arruda

9:19 PM  
Anonymous dira said...

texto que me faz querer se menina outra vez. meu beijo.

10:17 PM  
Anonymous Hermann said...

Mais um dia, mais um incêndio.

O inferno é a repetição.

12:12 PM  

Postar um comentário

<< Home

Ou comente aqui: