segunda-feira, outubro 31, 2005

II

Dizem que o dia finda nas tardes. Dizem, não sei.
Nas horas vespertinas ideogramo os sentidos, sentidos inexplicáveis, dissimulados e dúbios.
Nada fácil rever mistérios e deles fazer outro dia.
Lentos os regressos, antigas as felicidades.
Assim indago e pratico, descreio até. Novo dia não se pré-dispõem, não se deixa conhecer.
Dias novos almejam ser... dias novos.
Por isso acordo nos de sempre, acordo ontem.



Maria Odila

12 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Pois é, Maria. A gente prefere acordar no que já conhece. Nunca se sabe o que esperar de um novo dia, não é mesmo? Beijo pra você. Adelaide

10:54 PM  
Anonymous marcelo said...

Pois eu começo a viver nos fins de tarde, que é quando costumo sentar a escrever minhas bobagens...:-)) Beijão, Dila.

11:22 AM  
Anonymous filho said...

muito bom, maria.
feliz dia novo para você.
bjs

2:03 PM  
Anonymous tania barros said...

Sou sempre por acordar num dia novo, mas é muito lento mesmo este acordar. Beijos! Linda reflexão!

3:50 AM  
Anonymous maria angelica said...

Linda reflexão !!! Bjk

12:58 AM  
Blogger Tchela. said...

Eu gosto do dias novos e das surpresas que podem vir com eles.
Beijo

7:32 PM  
Blogger Amaral said...

Difícil entender e apreender a renovação. Quem avalia os seus dias naquilo que pratica diariamente, saindo pela manhã, regressando pela noite, trabalho e casa, e muitas, muitas preocupações - não tem muito espaço para se aperceber de que o novo dia nada tem a ver com o dia anterior.
Mas parece não haver dúvida que tudo é novo em cada dia. Temos esse condão natural de sabermos criar. E tudo o que criamos hoje nunca foi exactamente igual ao criado ontem…

8:23 PM  
Blogger Ana said...

Maria, te achei no blog da Bugra e vim conhecer. Adorei seus textos, sua sensibilidade, sua lucidez... enfim, tudo. Parabéns!

Ana

3:51 PM  
Anonymous Linaldo said...

acordar no ontem, odila, é bem imprevisível. ficou muito bom

4:21 PM  
Anonymous Dácio said...

O dia finda a qualquer momento, a qualquer tempo, sempre no futuro, inexoravelmente a cada dia, não a arrasta o passado
e não ultrapassa o futuro, desligado completamente de seus últimos compromissos vencidos minuto a minuto, segundo a segundo com absoluta cegueira quanto ao próximo acontecimento o que é bom para ele que deve ser sempre alegre e gárrulo. Valeu Digressiva Maria. beijos

11:59 PM  
Blogger Manoel Carlos said...

Hoje vim apenas para parabenizá-la pelo aniversário. Desejo-lhe felicidade e sucesso.

2:24 PM  
Anonymous Tere Sarmento said...

Ótimo, poeta! É bom levar a vida versejando, mesmo que se acorde sempre ontem.
Beijos

12:06 PM  

Postar um comentário

<< Home

Ou comente aqui: