quinta-feira, dezembro 01, 2005

Querido Papai Noel

Meu aniversário é em novembro, meio do mês. Comemoro há quase meio século sempre sabedora que depois dele, chega Natal.
Mas este ano, não sei... em outubro, panetones. Antes que mudasse meus anos, as ruas iluminadas, as árvores enfeitadas.
Mais que perdida, senti-me desarvorada.
Como Papai Noel saberá de mim se a hora ainda não é essa? Será que antes da época ele também lê as cartinhas? Ou será que preciso correr e fazer pedidos antes que perca o prazo?
Na dúvida, melhor pecar pelo excesso. Escrevo agora e escrevo em dezembro, novamente.
Querido Papai Noel.
Se o natal corre assim, sentir-me-ei mais velha mais rapidamente. E se os anos não cumprirem seu prazo de durar um ano, Papai Noel, como poderei decidir o que quero?
Rapidamente penso e escrevo, antes que o tempo seja senhor de mais senhores.
Desejo uma casa. Pequena não quero. Que vivam confortavelmente as meninas e eu, portanto 4 quartos se fazem necessários. Da sala, sentada, (quero sofá também que não tenho um há mais de 3 anos) quero ver o por do sol, essa novidade de todos os dias e á noite. Quero sonhar com a lua, namorada solitária, como eu. Quero saber que os carros andam, mas tão vagamente que sentirei os sons, não os verei. E que a casa seja ali pelos lados da rua Morás e apartamento, daqueles novos.
Depois da casa, queria pedir Papai Noel para que o senhor dê, vez em quando, uma espiada nos meninos. Andam tão perdidos da vida estes meus guris... Acho que é a falta do pai, mas como o pai está no céu com o senhor, pergunte que ele saberá como lhe ajudar, nos cuidados com nossos meninos.
Não sou de muito pedir. Como todos, adoraria quitar as dívidas que nem são tantas, mas aquelas corriqueiras. Devo atenção às meninas, devo mais trabalho às minhas outras moças, as que trabalham comigo. Devo cozinhar mais em casa, devo também ouvir mais a vida dura de Nice, a minha desordenada ordenadeira.
Devo ainda algum dinheiro para ter todas as partes do carro. A viagem que dividi em módicas muitas prestações e o aluguel que aumenta, aumenta...
Me deixe continuar recebendo o justo salário de todo trabalho que faço.
Gostaria ainda Papai Noel que o juiz do inventário acabasse com essa agonia. Segurar um morto por tanto tempo é no mínimo, cansativo.
E por quase fim, desejo Papai Noel não terminar sozinha os meus dias. Tenho as meninas, bem sei, mas elas farão suas vidas, seus amores. Tenho os meninos, mas estes há tempos estão em novas casas, fazendo suas outras famílias. Tenho pai e mãe e estes sabem... eu que saí fazer minha outra família.
O marido não tenho. Está bem aí, a seu lado, olhando as crias crescerem. Mas não será ele, Papai Noel quem me deixa assim sozinha? Vai ver continua ciumento, vai ver...
Não me dê namorado nem outro marido, mas conceda amigos sinceros, conversadores como eu, passeadores nas madrugadas e de tantas outras afinidades. E quando a solidão chegar, me dê o carinho das lembranças. Elas ainda me aquecem os olhos e molham as memórias
Mas se com tudo isso o senhor ainda achar que mereço me apaixonar, que seja logo Papai Noel que ando me sentindo tão sozinha...

Maria Odila

23 Comments:

Anonymous marcelo said...

Pobre d´eu Dila, com mulher e filha aniversariando em Dezembro...por onde tu andas, mulher?
Beijo.

7:59 PM  
Blogger Amaral said...

Só te posso dizer que esta é das coisas mais bonitas que li… Tinhas a inspiração a teu lado, porque as palavras sairam-te com tanta facilidade, com tanta doçura, que me contagiou também. Parabéns! Mereces certamente que Papai Noel leia atentamente a tua missiva. E que sejas feliz! Com os pequenos momentos que achares deliciosos, todos juntos, a fazerem parte dessa felicidade.
Aproveito para te convidar a ires ver no meu blog a Aquarela que veio do Brasil. Uma ternura!

1:01 PM  
Blogger Ilidio Soares said...

Começa e não para mais. Eita coisa boa pra se ler! E os pedidos? E as perguntinhas que vão sendo feitas, hein? Isso é uma maravilha, Odila.
bjos
Ilidio

2:16 PM  
Blogger Manoel Carlos said...

Fico um pouco triste... os sonhos passaram a ser representados pelas necessidades básicas, nunca asseguradas, numa sociedade com toda a tecnologia para isto.
Quero de Papai Noel o direito de ter sonhos e até de realizar alguns deles.

11:41 AM  
Blogger Francisco Sobreira said...

Querida amiga Maria: Com grande surpresa e alegria recebi a sua visita ao meu blogue e aqui estou retribuindo-a. Tenho também estado ausente por aqui, mas, como você, não deixei de lembrá-la nos meus pensamentos. Espero que Papai Noel seja generoso como você. Um beijo e uma excelente semana.

4:40 PM  
Blogger Jane CZ said...

Adorei sua visita lá no meu blog. A sua crônica de Natal é tocante, pois fala de desejos e preces que todos, no fundo, dirigem ao Infinito. Belas letras. Voltarei. Beijos!

1:42 AM  
Anonymous nora borges said...

Minha querida, quem sabe Mamãe Noel lê a tua carta, que o Papai Noel anda tão coberto de pedidos de jogos eletrônicos!
Fiquei com vontade de escrever a minha...
Linda!

10:36 AM  
Blogger benechaves said...

Olá amiga: muito tempo sem vir aqui. Mas, cá estou. E que o papai noel lhe dê tudo o que desejas.Tomara que ele tenha este poder. Sobre o post anterior, gostei de sua diversificação dos amores. E falando nisso, vc assitiu ao filme 'Encontros e Desencontros'? Achei um bom filme.
Um beijo encontrado...

11:03 AM  
Anonymous Jorge said...

Olá, Soberana!
Não preciso comentar a respeito das suas palavras, pois por um instante me imaginei em seu texto, como se cada "simples" frase fosse real. Quem dera o mundo tivesse mentes sensíveis como é a sua. Há muitos anos, eu não acreditava em Papai Noel. Talvez por não entender a metáfora aí existente. É mais fácil rezar ao Papai Noel que a Deus. Mas eu não acredito que nossos pedidos de Natal cheguem a outro lugar senão à essa energia maior criadora de tudo. "Só existe aquilo em que se crê porque se crê somente naquilo que se imagina que existe."

Não é verdade?

Um beijo carinhoso,
Jorge

11:41 AM  
Anonymous fernando cals said...

Oi, Maria Odila,
Quando de minha primeira separação, chumbado e arriado que estava, conheci a força dos amigos, dos verdadeiros. É o momento em que você vê que, melhor que parentes, são os amigos.
Procure-os, ache-os e faça da sua vida uma alegria.
Todos merecemos!
Beijos
fernando cals

9:57 AM  
Anonymous Zeca said...

Olá, minha querida e Sapeca Madalena!

Também ando sumido daquí... mas a lembrança das nossas gostosas conversas ainda me acompanha. E a leitura dos seus textos, sempre me enternece, me emociona.

Essa "oração" a Papai Noel em forma de carta foi das mais deliciosas e enternecedoras que lí. Talvez ela traga um pouco daquilo que todos nós gostaríamos de pedir... talvez, como disse o Manoel Carlos, nos traga o desejo de retomarmos nosso "direito de ter sonhos e até de realizar alguns deles."

Tenho certeza de que Papai Noel não conseguirá ficar indiferente a mais essa obra de arte saída de seu coração.

Um beijo e muita saudade.

8:18 PM  
Anonymous mario said...

antigamente eu sonhava; ultimamente tenho tido dificuldade até pra dormir. beijo pra você.

11:39 AM  
Blogger Milton said...

Maravilhoso texto. Fico pensando que a melhor forma da beleza é a da tristeza e a da esperança. Que coisa humana, simples, sincera e bonita, minha amiga.

Agora, Papai Noel, dê um jeito porque merece!

Um beijão.

3:49 PM  
Anonymous Ney Alexandre said...

Esquece o Noel e enfeite o seu jardim!

6:30 PM  
Anonymous Linaldo said...

papai noel sempre le as cartas...bjs

7:33 PM  
Blogger Manoel Carlos said...

Que tal atualizar como presente de Papai Noel? :)
Boas Festas e Feliz Ano Novo!

11:44 AM  
Anonymous vera do val said...

Onde anda vc?
Beijos gdes de Natal e Ano Novo
inquieta

4:35 PM  
Anonymous Simone said...

Digressiva e querida Maria:
Passo pra deixar meu desejo de um FELIZ NATAL e um ÓTIMO 2006 e que no próximo ano possamos dividir poesias, letras, sonhos...
Esse é um dos meus pedidos pro Papai Noel...rs.

Meu beijo com sabor de dezembro.
Si

5:46 PM  
Blogger Amaral said...

Que este Natal de 2005 seja uma oportunidade para encontrares o que mais ambicionas na tua vida.
Muita Paz, muita Alegria e muito Amor, para o ano que aí vem!

11:24 PM  
Anonymous ObservadOOr said...

Felicidades... alegrias... emoções... amor... vida... luz – Feliz Natal e 2006 com muita pureza no coração! Abraços

9:21 PM  
Anonymous fernando cals said...

Oi, Maria Odila,
Nunca faço planos fora do comum para a minha vida. Nada de grandes conquistas, ganhos maravilhosos, felicidades fora do comum, delírios. Apenas penso em viver!
Desfrutar da minha família, minhas doces manias, curtir nossos blogues, receber suas visitas, responder ao seu comentário, sentir esse carinho simples e gostoso. Retribuir!
Seguir fazendo a minha querida Arquitetura, minhas pequenas obras, algum dia, quem sabe tentar escrever, entalhar as minhas madeirinhas, essas coisinhas a tôa!
Nunca possui grandes ambições! Sou um quase exemplo a não ser seguido. Quase um modelo a ser evitado. Mas, com muita paz e muita felicidade.
Essa mesma Paz, outro tanto de Felicidade e todas as Realizações, com a dimensão que cada um queira imaginar para si, é o que desejo a querida amiga e sua família.
Muitos beijos, abraços e carinhos.
fernando cals

FELIZ NATAL PARA TODOS!

10:43 PM  
Anonymous Anônimo said...

nem sempre papai noel consegue atender a todos os pedidos, ele eh human, pode errar? ( ou nem existe - sei lah) DESEJO A VC Q ESSA SEMANA ONDE O BRANCO EH LEI, QUE 2006 VENHA E LOGO TE TRAZENDO AQUILO Q PAPAI NOEL, POR VEZES SE DESCUIDA E ... bjo.li, ( pedrabrasileira.blogger.com.br)

10:19 PM  
Blogger Amaral said...

De novo aqui para te desejar:
Um Ano Novo com muita Paz e Amor!
Uma saudação aos céus, um brinde à vida, um grito à Alegria!

3:58 PM  

Postar um comentário

<< Home

Ou comente aqui: